Tag Archives: tarso genro

PARALISAÇÃO GAÚCHA

Sindicato gaúcho na luta pelo piso dos professores

Sindicato gaúcho na luta pelo piso dos professores

Porto Alegre (Sartori, vá se esconder na Tumelero! * tradução ao final) – Amanhã a rede estadual de ensino do Rio Grande do Sul vai parar, por convocatória do sindicato estadual, o CPERS (ver aqui). Nem Yeda Crusius (PSDB) e nem Tarso Genro (PT) pagaram o piso salarial em momento algum de seus mandatos como governadores. José Ivo Sartori (PMDB) parece seguir na mesma balada.

Por lei nacional, hoje nenhum professor com jornada de 40 horas semanais e formação em  magistério de nível médio poderia ganhar, como vencimento básico, menos que R$ 1.917,78 no início de sua carreira. Note-se que receber esse valor não deixa ninguém rico, não é nenhuma grande maravilha, muito menos absurdo. Porém é o que manda a lei, o que a luta dos trabalhadores conquistou, e já é um grande avanço em relação a situação anterior, em que inexistia piso. Mas as docentes gaúchas ganham o equivalente a R$1260,20 – uma vergonha, uma aberração, algo inaceitável.

Meu filho não terá aula amanhã. Estou satisfeito por ele aprender que sua professora luta por seus direitos. E que tem o apoio incondicional de seu seu pai, apesar dos contratempos e da logística doméstica abalada. Força, professoras!!!

* Pros não gaúchos:  o então candidato a governador debochou do piso dos professores, fazendo referência às lojas de materiais de contrução Tumelero, bastante conhecidas por estas bandas, onde a categoria docente encontraria “piso”.

PENSAR A EDUCAÇÃO

Todo o mês vou publicar um texto no antenadíssimo informativo "Pensar a Educação em Pauta"

Todo mês vou publicar um texto no informativo “Pensar a Educação em Pauta”

Porto Alegre (em meio a manifestações…) –  Caso queira ficar antenado no que acontece na educação brasileira (e mesmo mundial!) uma excelente alternativa é ler o informativo semanal “Pensar a educação em Pauta”, editado por um povo da Universidade Federal de Minas Gerais comprometido com a sociedade, super sério – leia aqui. E eu vou estragar o trabalho deles com os meus artigos mensais… O primeiro saiu hoje, abordando o Ministério da Educação e seus ocupantes. Aqui vai um trechinho:

“/…/Cid no MEC mantém uma tradição: a de que profissionais da educação básica e especialistas em educação não viram ministros da área. De todos os ministros desde 1985 apenas Cristovam Buarque possuía alguma identidade profissional com a educação antes de assumir o ministério. E mesmo este é um engenheiro com uma carreira dedicada à economia… Assim, para ser ministro da educação do Brasil não precisa entender quase nada de… educação./…/”

Quem se interessar pode ler aqui.  E fique à vontade para colocar seus comentários tanto lá quanto aqui.

SECRETIN@S

Vieira da Cunha: o então candidato a governador em 2014

Gramado (é, curtindo férias – após passear posto mais sobre UFRGS / Vestibular) – Então, vamos dar uma olhada na trajetória do recém empossado Secretário de Educação do RS para saber por onde andou, o que fez, com quem andou… quem pagou suas contas…

No site do Tribunal Superior Eleitoral é possível ver quanto os candidatos gastaram em suas campanhas e quem as financiou. Veja aqui.

Vieira da Cunha declarou ter recebido  R$2,1 milhões em doações para sua campanha a governador em 2014. Uma pechincha perto de seus concorrentes Sartori  (R$10,8 milhões) e Tarso Genro (R$11,4 milhões). Seus principais financiadores foram: R$180 mil Zaffari, R$ 100 mil Quantic Distribuidora (???), R$80 mil Ipiranga Petróleo, R$65mil CMPC Celulose, R$50 mil Vonpar Refrescos, R$40 mil Evora S/A, R$40 mil Taurus, R$20 mil Marcopolo. Também recebeu centenas de doações até R$1 mil advindo de pessoas físicas, típico de candidato que possui grande número de apoiadores, militantes, amigos, familiares engajados.

A título de comparação, Vieira da Cunha se elegeu deputado federal em 2010 recebendo R$885 mil em doações. Naquela ocasião seus principais doadores foram: JBS (dona da Friboi-   R$200 mil), Gerdau (R$70 mil), Zaffari (R$30 mil), Marcopolo (R$20 mil), Taurus (R$20 mil), várias construtoras e imobiliárias. Nota-se que ele tem “parceiros” fiéis. Lá também teve dezenas de doações de até R$500 de pessoas físicas.

Se o dito “diga-me com quem tu andas…” tem algum sentido taí um povo que anda com o Vieira da Cunha. Uma observação é fundamental: as grandes empresas costumam ser “democráticas” e doam para vários candidatos (Zaffari e Gerdau, por exemplo). Acendem velas pra Deus e pro Diabo…