Tag Archives: Rui Oppermann

CA ganha, mas Rui leva reitoria UFRGS

Rui e Jane eleitos - regras atuais...

Rui e Jane eleitos – regras atuais…

Porto Alegre (Regras do jogo) – Se – e somente se – houvesse paridade na apuração das eleições reitorais, a Chapa 1, Virada, composta por C.A. / Laura teria ganho a votação e seria eleita. E fácil, com 46% dos votos válidos. E os reais eleitos pelas regras atuais (Chapa 3 – Rui / Jane) ficariam, nessa hipótese, em segundo com 37%.

A Virada (com Carlos Alberto Saraiva Gonçalves e Laura Verrastro Viñas) venceu por maioria absoluta entre os técnicos (57%) e estudantes (53%). E perdeu entre os docentes (30%).

Vice-reitor nas duas últimas gestões, Rui Vicente Oppermann (Chapa 3) vai assumir a cadeira magnífica e sua colega Jane Tutikian ocupará a vice pelos próximos 4 anos. Ele obteve 53% dos votos entre os docentes, 26% entre os técnicos e 33% entre os estudantes.

A grande perdedora foi a chapa 2, composta por Sérgio Roberto Kieling Franco e por Andrea Machado Leal Ribeiro. Sérgio foi diretor da Faculdade de Educação, pró-reitor de graduação até dezembro passado e é membro do Conselho Nacional de Educação. Mas os resultados eleitorais foram pífios, sendo derrotado em todas as categorias: 13% entre os docentes, 6% entre os técnicos e 11% entre os estudantes. Eu apostava que eles, de fato, seriam os últimos colocados, mas não achava que seria de lavada…

Os votos brancos foram poucos: 1,5% entre os docentes, 1,1% entre os técnicos e 0,6% entre os estudantes.

Os votos nulos foram mais expressivos que os brancos. Porém, dado que havia campanha pelo voto nulo, avalio que os números foram fracos pra essa manifestação: 2,5% entre docentes, 9,5% entre os técnicos e 2,5% entre os estudantes.

Já o resultado mais gritante foram as abstenções: 26% entre docentes, 34% entre os técnicos e 89% entre os estudantes. Aqui as avaliações podem ser bem distintas… Um quarto dos docentes se abster pode ser puro descompromisso, alienação ou certeza que o Rui ganharia (e estavam felizes ou nem aí). Já entre técnicos pode ser muito mais coisas: a começar repudio a um processo que os apequena e desvaloriza, mas também as alternativas apontadas pros docentes. No caso dos estudantes pode valer tudo que apontei pros técnicos somada a possível menor compreensão / vivência de como funciona a instituição (isto uma grande culpa de docentes e técnicos).

Mas lembremos que a UFRGS é conservadora (diria retrógrada) e se mantém confortavelmente defendendo que os docentes tenham o exorbitante peso de 70% dos votos. Sobram meros 15% do peso para os técnico-administrativos e reles 15% para os estudantes. Nessa regra, ganhou quem está na máquina.

Há múltiplas formas de contabilizar a paridade, logo não há consensos e nem regras fixas nestas contas. Eu divulgo continhas com 1/3 de peso pra cada categoria sem nenhuma forma de redução por índice de participação (por exemplo, alguns lugares ou exigem um percentual mínimo de votantes na categoria para validar os votos e outros lugares reduzem os pesos em proporção às abstenções). Assim, o que vale, no geral, é o acordo político feito com entidades representativas e/ou conselhos universitários. Reitero: é bem possível (e provável) que outras análises sobre os mesmos números levem a diferentes interpretações – o que não é um problema, necessariamente. Aqui é só a minha e respondo pessoalmente por ela.

“Nesta” paridade CA teria 46% dos votos, Rui ficaria com 37% e Sérgio obteria 10%. Não fecha 100% porque ainda tem os brancos e nulos.

 

Resultados oficiais (sem possíveis impugnações) – ver aqui

Chapa 1 – Carlos Alberto Saraiva Gonçalves (Instituto de Ciências Básicas da Saúde) e Laura Verrastro Vinas (Instituto de Biociências)

Chapa 2, Sérgio Roberto Kieling Franco (Faculdade de Educação) e Andrea Machado Leal Ribeiro (Faculdade de Agronomia)

Chapa 3 –  Rui Vicente Oppermann, (Faculdade de Odontologia) e Jane Tutikian (Instituto de Letras).

 Docentes (Peso 0,7):
Chapa 1 – 629 votos
Chapa 2 – 286 votos
Chapa 3 – 1.112 votos
Branco – 32 votos
Nulo –53 votos
TOTAL: 2.112
Votantes habilitados: 2.872

Técnico-administrativos (Peso 0,15):
Chapa 1 – 994 votos
Chapa 2 – 110 votos
Chapa 3 – 465 votos
Branco – 21
Nulo–167

TOTAL – 1.757
Votantes habilitados – 2.656

Discentes (Peso 0,15):
Chapa 1 – 2.073 votos
Chapa 2 – 435 votos
Chapa 3 – 1.280 votos
Branco – 22
Nulo – 98
TOTAL – 3.908
Votantes habilitados – 37.323

Cálculo da apuração

Docentes Técnicos Discentes TOTAL
Chapa 1 0,153307 0,056137 0,008331 0,217775
Chapa 2 0,069707 0,006212 0,001748 0,077667
Chapa 3 0,271030 0,026261 0,005144 0,302435