VENDENDO EDUCAÇÃO

Gosto da sinceridade: é elitista!

Gosto da sinceridade: é elitista!

Porto Alegre (outra proposta de nome: Exclusão pré-vestibulares) – Esse é mais um da série “cursinhos do meu bairro”.

Pois é, iniciar a formação de jovens se gabando de ser elite me parece o cúmulo do capitalismo selvagem. Mas também prefiro assim, sem meias palavras, sem tergiversar, sem eufemismos (acordei com vocabulário rebuscado hoje, me aguentem!).

Incoerente é esperar que esses fulaninhos e fulaninhas venham a ser cidadãos conscientes, críticos, comprometidos, com sensibilidade social…

São esses mesmos e suas gerações anteriores que não gostam de trabalhar no SUS, que odeiam pobre, que desejam ficar ricos mais do que serem úteis em suas atividades profissionais. O grande objetivo é ter seu consultório, ou melhor, clínica particular e tratar a saúde da…. elite!

E são esses mesmos que depois vão encher o saco do governo por criar o Mais Médicos, levando pessoas para respeitar a vida em lugares onde eles se recusam a colocar seus tênis Nike, onde não há revenda da Audi e da BMW.

28 thoughts on “VENDENDO EDUCAÇÃO

      1. Paula

        Reclama do comentário mas a postagem não tem profundidade nenhuma. Tu já conversou com a turma da qual tu falas mal agora? Sabe se ali tem gente comprometida ou esnobe? Não vejo a mínima profundidade nas tuas palavras, só uma raiva cuspida no que tu acha que é o alvo certo.

        Reply
      2. Ícaro

        Mais profundo que o texto. Aliás, nem precisava ser profundo, pois é verdadeiro. Cara, sai da poltroninha e vai conhecer antes de escrever.

        Reply
  1. Pietro

    Ao “entendedor” que sabe tudo sobre a sociedade e publicou esse texto:

    Eu sou um dos “fulaninhos” da gravura na porta. Discordo completamente do teu texto por infindáveis motivos. Vou me limitar a citar alguns para não ficar tão feio.

    -Não sou de família pobre, muito menos de família rica. Com MUITO esforço financeiro, meus pais me deram a oportunidade de estudar nessa excelente instituição de ensino. Sem pregar o “CAPITALISMO SELVAGEM”, o elite me proporcionou a realizaçao de um sonho: ser aprovado em medicina na UFRGS. Não me importarei nem um pouco de prestar serviços ao sus, apesar do caos crônico da saúde pública no Brasil.

    -O nome do cursinho NÃO tem o intuito de passar uma ideia de superioridade, nem de oprimir aqueles que sofrem de um complexo de inferioridade e vivem reclamando que a sociedade os põe para baixo. “Elite” ,na realidade, só quer passar a ideia de uma preparação em alto nível intelectualmente falando.

    -Plagiando, a resposta do Daniel: toda generalização é burra.

    – O programa Mais Médicos do nosso governo é necessário. Não estou defendendo o programa, apenas digo que é necessário. Talvez por falha do próprio governo, talvez não. O fato é que falta incentivo para que os médicos formados no Brasil busquem empregos em regiões mais distantes, cidades pequenas etc… Talvez seja pela própria precariedade da saúde pública tão pouco atrativa para os médicos recém formados que buscam, cada vez mais, empregos fora do país. É só tu observar o sucesso do programa Ciencias sem Fronteiras, que tu vai entender o que eu digo.

    Então, amigo, às vezes, é preciso pesquisar e se informar antes de sair escrevendo quanquer coisa por aí.

    Abraço. Pietro.

    Reply
  2. Henrique bertin rojas

    Juca, tenho certeza que o comentário do Daniel é muito mais profundo que sua pesquisa acerca da instituição que difama. Sou um dos “fulaninhos” da foto e discordo da sua generalização. Se conhecesse a instituição, saberia que eles disponibilizam espaço e professores para treinar jovens GRATUITAMENTE para olimpíadas de matemática, assim como ela é uma das instituições que incentivou a idealização da olimpíada brasileira de geografia e biologia, afim de aprimorar a educação publica do brasil, que me parece ser uma das tuas lutas. conheco todos os jovens que estão na foto comigo e te garanto que nenhum e da elite, como pressupõe teu post.
    Incoerente é um pedagogo incitar o pré-conceito com uma classe. Mas paro por aqui. Lamento por aqueles que escutam suas loucuras em sala de aula e lamento por seu caráter.

    Ah, realmente essa publicação apresneta uma visão diferente e fora do senso comum, no entanto, ela também é fora da realidade é muito equivocada. Abraço, cara.

    Reply
  3. G

    Baita balela desinformacional! Muita ignorância e reducionismo de alguém que se julga tão esclarecido.
    Julgar os alunos pelo nome de uma instituição? Passando por cima da história de vida de todos esses jovens? Dos seus pais suando pra fornecer uma boa educação? Parabéns pela tamanha imvecilidade!!!! Palmas

    Reply
  4. Nelson Guarita

    Fala sobre igualdade de classe mas quer tornar as diferenças entre elas explícitas e ainda criar uma guerra entre elas. Incoerente

    Reply
  5. Angelica

    O teu texto apenas mostra o tamanho da tua ignorância! Devia se informar antes de publicar algo sobre o qual tu não tem o minimo de conhecimento, se tu tivesse a minima informação sobre isso teria vergonha desse texto.

    Reply
  6. Steve Jobs

    Muito boa sua argumentação generalizada baseada em achismos. Apenas achismos mesmo, pois se eu achar alguém que me aponte uma veracidade nesse texto vai ganhar minhas mais sinceras palmas.
    Eu até aprofundaria esse meu comentário, mas infelizmente estou atrasado para buscar meu porsche na oficina e ir ao encontro semanal de capitalistas opressores :/

    Reply
  7. Carol

    Nunca li um texto tão ridículo na vida. Como tu podes julgar os alunos em relação a comprometimento ou qualquer outra coisa futura? Tu conhece um por um pra saber se não gostam de pobre? Que não gostam do SUS? Eu estudei no elite e tenho um imenso orgulho disso, hoje faço odontologia na UFRGS e conheci o verdadeiro SUS com suas qualidades e dificuldades, e depois de formada desejo com certeza dedicar a minha vida ao SUS e ajudar os outros, assim como outros vários alunos do Elite que eu conheço. Os alunos não tem culpa de terem condições mais favoráveis e poderem estudar num curso caro e isso não faz de nós pessoas mercenária e sem coração e sem comprometimento, sensibilidade e todo teu blabla. Só pra esclarecer, o nome Elite vem de “tropa de elite” porque o curso primeiramente era voltado para provas militares, não para os ricos de Porto Alegre. E acho bem interessante a maneira como tu tem sensibilidade social: ajudando o próximo com um blog. Palmas.

    Reply
  8. Nathan

    Ridículo, estudo no Elite e não pertenço a “elite de Porto Alegre”, nem meus pais, muito menos o resto de minha família. Sempre dependi do SUS, sempre utilizei o transporte público e sempre morei em bairros humildes. O único motivo pelo qual estudo no Elite é porque meus pais trabalham mais de doze horas por dia de segunda a segunda, sem feriados e sem fins de semana e porque eu muitas vezes no meu tempo livre os ajudo no trabalho. E como afirma com tanta convicção que os ex-alunos do Elite possuem essa postura em suas carreiras profissionais? Como o Daniel já falou “qualquer generalização é burra”.

    Reply
  9. Felipe

    Crítica vaga e totalmente incoerente. Realmente, toda generalização é burra, pois definir o caráter e a índole de alguém baseado em apenas uma de suas diversas experiências é burrice. Isso, pseudo intelectual, possibilita que continue existindo estereótipos- os quais, indubitavelmente, são todos infundamentados. Conheça e analise, não julgue equivocadamente. Impossível generalizar, eu sou de esquerda, mas infelizmente sei que muitas vezes nós argumentamos de maneira extremamente equivocada e preconceituosa. Você é a prova disso.

    Reply
  10. Pedro Truccolo Chiarello

    Olá Juca. Fiquei surpreendido com sua publicação. O que mais me assusta é seu comprometimento com o pensamento fora do “senso-comum” que descreve para o blog. Pois então, não sei quem você é e nem farei alguma ameaça mesquinha aqui. Estudei um ano no Elite. Ganhei bolsa de estudos lá. Não tinha dinheiro para pagar nenhum curso pré-vestibular. Vim de uma escola pública da zona sul com muita defasagem de conteúdo e durante aquele ano que ganhei bolsa no curso estudei muito mesmo, sempre pensando em dar condição de vida melhor para minha família. Não preciso contar minha história de vida ou simplesmente provar para você se tenho consciência ou sensibilidade social. Usar a minha imagem assim como a de muitos dos meus amigos para exemplificar como a saúde forma profissionais com “nojo de pobre” tal como você escreve é a prova da sua ignorância. Concordo com você que o curso de Medicina é por si elitizado já que poucos tem condição de estudar com tal afinco e poder se dedicar 24h por dia para estudar. A crítica só não é válida por culpa da sua imbecilidade em exemplificar um texto usando uma imagem com a qual não sabe dizer nada. Você é um estúpido, cego. Você é o exemplo de que a educação sim é uma falha no sistema do país. De que não falta informação, e sim pessoas que saibam interpretar fatos e refletir de maneira adequada. Óbvio que não aceitará essa crítica. Seu analfabetismo funcional e seu ego é muito maior que o senso sociológico. O seu exemplo é tão imbecil quanto alguém que culpa uma mulher ser estuprada pela sua maneira de vestir. Quanto alguém que critica as cotas raciais por que elas estimulam o racismo. Quanto alguém que acredita que Bolsa Família é programa para sustentar “vagabundo”. Quanto alguém que defende a maioridade penal nos 16 anos mas não tem a capacidade de estender um raciocínio da implicância que isso gera. Sua limitação irrita qualquer um e não existe exemplo maior defeito que a limitação.

    Reply
  11. Lamentável

    Já avisando que não vou ficar debatendo esse assunto com você, professor. Sou aluno do elite, diga- se de passagem pobre, já que você usou esse termo antes. Vou te explicar o porque do ego de um “eletista”, quando entrei no elite descobri que eu era burro, realmente burro, pois, não conseguia desenvolver quase nenhuma questão. Foi passando o tempo e as coisas pioraram, ” báh, ta foda”, única coisa que eu sabia falar, conversava com professores, pedia ajuda e adivinha ? Consegui entrar no ritmo de aula dessa instituição. Com o passar do tempo observei que aquilo tava cada vez pior e que ali não tem folga… E adivinha, eu estudava cada vez mais e mais, até que um dia, conversando com amigos que fazem cursinhos também, fomos todos estudar. Sentamos numa mesa e começamos a desenvolver cálculos e olhando em algumas apostilas, tinha questões fáceis, questões nomeadas com faculdades federais mas que não estavam no padrão de dificuldade e ali percebi que no elite o trabalho é puxado. Não estou desdenhando o trabalho de outros cursinhos e nem dizendo que o elite é o melhor, ele tem suas falhas, mas ao ver aquela quantia de pessoas aprovadas em medicina acho que o elite não é isso que tu ta falando, não está satisfeito? Belo exemplo disso é a Turma Militar do elite, pergunta pra qualquer professor que já tenha dado aula no elite sobre ela, pergunta pra ele(a) se a Turma militar(são alunos do elite também) ficam com esse pensamento de “superior”. Somos orgulhosos de ser do elite, pois sabemos que lá o trabalho é sério e te da recompensas.
    E o daniel não está tão errado, qualquer generalização é burra mesmo, pois sou pobre e me preocupo sim com o Brasil.

    Reply
  12. Gabriel Santana

    Impressionante que uma pessoa com tamanho conhecimento como és tenha feito um comentário tão absurdo e reducionista.
    Primeiramente, gostaria de me apresentar: sou aluno do Elite e, como muitos, fui presenteado por uma bolsa de estudos.
    Já passei por alguns dos principais cursinhos de Porto Alegre, e afirmo com convicção que o Elite foi o mais heterogêneo até agora.
    O curso oferece oportunidades para todos os alunos que se demonstram interessados em estudar.
    Ao contrário das besteiras que disseste, meu grande objetivo na medicina é ser médico da família, acredito que os cubanos são de grande ajuda para a saúde pública e, tenho aversão a ideia de ter um consultório particular.
    Esse tipo de raciocínio burro e reducionista demonstra que te falta um pouco de discernimento das coisas.
    Com certeza, tu não faz a menor noção do que seja o ELITE.
    Espero que penses duas vezes antes de sair falando coisas mentirosas na internet.

    Reply
  13. Aluna

    Caro professor, antes de mais nada peço desculpas pelos erros de português, venho do ensino público – que como todos nós sabemos, é muito precário- e ainda não estudei todos os conteúdos no cursinho pré-vestibular. Por coincidência, a instituição de ensino que frequento é o Elite Pré-Vestibular, citado em seu post.
    Acredito, de acordo com o seu texto, que o senhor não conheça absolutamente nada do curso citado. Não sabe que boa parte dos alunos de lá (assim como eu) tem bolsa de estudos e que dos nove alunos da foto acima, oito tinham bolsa integral.
    Não somos fulaninhos e fulaninhas, meu tênis não é da Nike e minha condição financeira passa bem longe de uma revenda da Audi ou da BMW.
    Graças ao “Exclusão pré-vestibulares” terei a oportunidade de concorrer, de modo justo, a uma vaga na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, já que -mesmo com as cotas- é extremamente difícil ingressar na UFRGS (e em qualquer outra instituição de ensino superior) devido ao défice gigantesco do ensino público. O Elite pré-vestibular me dá a assistência que o Estado deveria ter dado.
    Somos da elite sim, mas da elite intelectual (e não da econômica, como o senhor mencionou) e espero que, em um futuro breve, todos os cidadãos deste País também possam fazer parte desse grupo.
    Cuidado com esteriótipos e generalizações, elas sempre excluem boa parte da verdade.

    Abraços!

    Reply
  14. Milena

    Incoerente é julgar alguém pelo lugar em que estudou ou pela profissão que escolheu, não?
    Não faço questão que meu comentário seja exposto, mas me sinto na obrigação de contar um pouco da minha história (se quiser eu pode te dar, no mínimo, mais 15 outras, semelhantes à minha) para que teus olhos se abram à verdadeira realidade desses fulaninhos e fulaninhas e para que tu não envergonhe mais a ti mesmo postando esse tipo de bestialidade em forma de revolta contra as injustiças sociais.
    Eu sou estudante de medicina (na ufrgs, pqe não tenho dinheiro pra pagar ter outra opção) e tenho meu nome estampado em um dos cursinhos específicos para medicina mais caros da cidade. Aliás, em referência a um post teu anterior, eu passei em 3 federais diferentes – pqe não sou “burguesa” (acho ridículo esse termo) a ponto de investir tempo e dinheiro (pro ônibus, ne, eu não moro no Bom Fim, pertinho de tudo, moro em um dos bairros mais afastados e menos luxuosos da cidade) em apenas uma chance de ser aprovada; e, ao contrário do que tu dissestes, não é por eu ser uma idiota com péssima auto-estima, pqe ninguém, por pior que estivesse, se submeteria ao que eu passei em um ano de cursinho apenas para se sentir melhor – e outras 6 particulares em que, em função de eu ter ganho uma bolsa (de estudos, ta?) no cursinho – como eu disse, nem todos os fulaninhos e fulaninhas são burguesinhos que moram no Bom Fim) eu deveria prestar vestibular. Além disso, alguns desse fulaninhos da foto aí são meus colegas na universidade e foram aprovados nas mesmas condições que eu.
    São esses mesmos que, assim como eu, antes de pensar em “ficarem mais ricos”, baixaram a cabeça pra entrar em um curso de graduação tão concorrido como o de medicina para, justamente, tentarem mudar o cenário da saúde do Brasil ao invés de apenas reclamar e culpar uma classe profissional (utilizando o mesmo erro de raciocínio, os culpados pela educação de péssima qualidade seriam os professores?).
    São esses mesmos que vão passar horas acordados em emergências atendendo os “pobres” que utilizam o SUS enquanto gente ignorante e preconceituosa os julga simplesmente por uma foto de propaganda (putz, essa droga de capitalismo selvagem atacando e ludibriando nossas mentes novamente, ne?).
    Incoerência é acreditar que coisas tão fúteis quanto um tênis Nike ou um Audi seriam capazes de submeter alguém ao esforço que é de se passar em um vestibular da ufrgs. Incoerência, ou, melhor, ignorância, é se acreditar capaz de julgar alguém baseado em seus conceitos mesquinhos e bem ultrapassados a respeito de uma classe profissional.
    É realmente muito triste ver alguém que defende pontos de vista tão revolucionários cometer erros de julgamento e percepção de mundo tão bestas e tão errôneos. Triste, muito triste, ter que ler esse tipo de preconceito e ignorância ainda nesses dias…

    Reply
  15. Turíbio Mativi Junior

    Texto superficial com argumentos muito fúteis. Sinto muito, mas precisa melhorar… De acordo com tuas idéias, então todos os alunos são iguais, querem entrar em medicina, serão arrogantes, ricos e trabalhar na saúde privada? Você conhece todos por acaso? Sabe a história de um por um? Sim, pois pela sua escrita é nítido uma raiva que não tem o menor sentido. Tenha argumentos mais sólidos e saia da superficialidade que talvez escreverá no futuro algo com menos raiva e maior conteúdo…

    Reply
  16. Sabrina Aguiar

    Cala a boca!!!!!
    Quando não se tem o que falar, não se fala bobagem, se fica quieto! Já bem dizia minha avó!

    Reply
  17. Juca Gil Post author

    Caros leitores,
    Todos os comentários lidos.
    Todos os comentários publicados.
    Essas generalizações não são burras, nem inverídicas (ou são?).
    Agradeço em especial aqueles que se dispuseram a realmente dialogar e apontar equívocos e exageros da minha parte, os quais não tenho problemas em admitir.
    E agradeço também aos que demonstram com suas msgs que nem tudo que eu falei é bobagem.
    Depois, com mais calma, escreverei outro post mantendo o diálogo.

    Reply
  18. Rai Viana

    É lamentável que um educador de uma instituição federal faça um comentário tão vazio quanto o do exposto, sou aluna dessa instituição ´´elitizada“ segundo o senhor e posso lhe dizer que 99% do que não tem o minimo discernimento; primeiramente não sou de família pobre tanto menos rica, tenho o sonho de estudar no instituto de tecnologia aeronáutica, seguir carreira como engenheiro e ser um excelente profissional assim como o diretor da escola que você ataca, aqui no rs existem poucas oportunidades para quem quer estudar no ita, e eu por minha vez não tinha condições de pagar cursinho para realizar esse meu sonho, graças a esses ´´eletistas“ agora eu posso lutar por isso, eu acompanhei de perto o esforço dos profissionais do cursinho para me cederem a bolsa, mesmo eu não demonstrando rendimento satisfatório, eles derramaram até a última gota de suor pra me dar essa chance, agradeço eles por tudo e não vou admitir que o senhor pregue algo tão falacioso quanto esse seu post vazio… uma dica, sei pouco sobre pesquisa e jornalismo, mas sei que o processo se da de duas formas, pesquisa qualitativa e quantitativa, tenho certeza que isso é necessário para qualquer disseminação de informação sobre quaisquer assuntos e também sei que seu texto não tem nenhum dois dois critérios, por isso afirmo, seu comentário e falacioso vazio e preconceituoso, te convido a fazer uma pesquisa de campo, e conhecer melhor a instituição, garanto que te receberão de braços abertos, com educação e muito respeito, assim como me ensinaram e assim como alguém devia lhe ensinar. Obrigado pela atenção, e desculpe os erros de sintase, estou trabalhando melhora-los graças a oportunidade que os ´´elitizadores“ me deram.
    Ah é claro! E se estiver curioso quanto ao 1% que concordei com seu texto, é que existem médicos que não querem trabalhar no sus, contudo relembro-te de pesquisar quanti e qualitativamente do por que fazem isso, e de onde surgem os profissionais que fazem isso, por que tenho certeza que não surgiram do Elite, pois la eles pregam amor a profissão e não fraude e mediocridade como oque vi em seu texto! Novamente, grato pela atenção!

    Reply
    1. Rai Viana

      Perdoe o corretor, sou aluno, não aluna, um detalhe nada importante, mas não quero deixar maus entendidos.

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *