CRECHE UFRGS FECHADA

 

Crianças e pais da creche da UFRGS no gabinete do Reitor

Crianças e pais da creche da UFRGS no gabinete do Reitor

Porto Alegre (problema crônico) – A creche que atende os filhos dos servidores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul vem sofrendo frequentes problemas e descontinuidades na execução de seus trabalhos. Sou pai de estudantes da creche desde 2011 e já passei por vários perrengues.

Em minha opinião a raiz do problema é a terceirização dos contratos dos trabalhadores, o que inclui além da limpeza e segurança, a cozinha e, pasmem, as educadoras. Pra deixar o quadro mais complexo, a empresa que atualmente faz a limpeza de toda a universidade é a mesma que contrata nossas professoras… chama-se Multiágil. Seja o fim de contratos, seja atrasos de pagamentos, seja não liberação de vale alimentação etc os problemas da precarização das condições dessas trabalhadoras é absurda. Como todos sabem, terceirizados não tem direitos trabalhistas, estabilidade e ficam à mercê de empresas nem sempre tão sérias.

Hoje fui à reunião de início de ano, onde tradicionalmente as mães e pais são recebidos para informes, além de conhecerem os professores de seus filhos e o cronograma de adaptação dos pequenos. Mas o script foi outro. Sem cozinheiras e sem professores, as atividades não serão retomadas. O contrato da alimentação está sem empresa e as educadoras estão paralisadas por não terem recebidos seus direitos, conforme previsto e acordado com a Multiágil, que vem enrolando o povo todo há semanas. Logo, justíssima a reivindicação.

Indignações de todos e várias tentativas de encaminhamento, em meio a certa falta de rumo, alguns pais decidiram ir à reitoria buscar respostas com as autoridades.

Uma hora após chegarmos uma comissão de funcionários, mães e pais, sindicato (ASSUFRGS) e direção da creche foi recebida.

Gestores da UFRGS e comunidade da creche reunida

Gestores da UFRGS e comunidade da creche reunida

Na foto acima quem está falando é a Vice Pró-Reitora de Gestão de Pessoas (Progesp), Vânia. Resumindo:

1) amanhã, no final da tarde, haverá uma reunião com a 4a colocada (vixe, que pindaíba… as três anteriores caíram fora!!! Não cheira nada bem…) na licitação de alimentação para assinar contrato. Previsão de entrada em funcionamento: incerta. Esta empresa também será responsável pelos restaurantes universitários.

2) enquanto estávamos reunidos a Multiágil ligou e afirma ter feito os pagamentos atrasados das educadoras. Só teremos confirmação amanhã na abertura do horário bancário.

3) foi marcada reunião entre a Progesp, a Multiágil e as educadoras amanhã (3a f) às 7h30, na creche.

Enfim, a reabertura depende das educadoras, de fato, receberem, e finalizarem sua paralisação. Ainda assim, restará uma creche sem comida, o que deve durar algumas semanas… Seguimos atentos, defendendo o direito das crianças à educação infantil.

 

12 thoughts on “CRECHE UFRGS FECHADA

  1. Ivani schuster

    Como uma empresa com problemas nos contratos do terceirizados na Limpeza, que é o contrato mais antigo atrasa pagamentos, vale alimentação e passagens consegue ganhar todos os contratos como limpeza, cozinheiras, professoras, jardinagem externa e agora conseguiu o contrato dos terceirizados da manutenção Predial, onde esta a Gerte neste momento que não esta avaliando as empresas que não estão tendo condições de manter um contrato.

    Reply
    1. Juca Gil Post author

      E o da alimentação ainda me parece pior, Ivani. A primeira colocada na licitação assumiu os restaurantes universitários, foi de uma incompetência monumental e teve que desistir. As duas colocadas seguintes caíram fora. A quarta vai dar as caras amanhã. Sei não… O rumor é que a UFRGS ta com chatices (ou rigores?) pra pagar, o que assusta as empresas mais sérias. Escutei isso de uma funcionária da UFRGS que estava na reunião hoje…

      Reply
    1. Juca Gil Post author

      Querida Sandra de muitas lutas! Boa proposta, vamos conversar com nossos colegas e pensar mais formas de pressão. Super abraço!

      Reply
  2. LUIS

    A SITUAÇÃO NÃO ESTA DIFERENTE NA MANUTENÇÃO PREDIAL QUE CONTRATAM FUNCIONARIOS EM FUNÇÕES QUE NÃO TEM PRATICA……COMO UMA EMPRESA FAZ ISTO É SO PARA TAPAR O BURACO DE UM CONTRATO MAL FEITO PELA RESPONSAVEL PELA CONTRATAÇÃO

    Reply
    1. Juca Gil Post author

      Certamente, Luis! O relato sobre a licitação dos restaurantes (cozinha da creche inclusa) me parece algo beeeem estranho, na linha do que você fala. Três empresas fugiram da raia. Estão chamando a quarta colocada, que ninguém conhece… Grande abs

      Reply
  3. Maurício

    Como uma creche que é de uma universidade precisa de uma terceirização tão exagerada. Esta creche não seria uma ótima oportunidade de estágio para os alunos da educação? Ou para administradores escolares? Não é possível que não existam docentes capacitados para administrar esta creche e estudantes interessados em aproveitar a oportunidade de estágio-pesquisa. E onde estão as iniciativas de nutricionistas, e todo os relacionados a áreas de alimentos que poderiam fornecer cardápios mais saudáveis de fornecedores locais para esta creche?

    Reply
    1. Juca Gil Post author

      Concordo, Maurício! A creche poderia funcionar mais e melhor como espeço formal de formação, não só de estudantes da pedagogia, educação física, mas quase todas as licenciaturas. E ter maior envolvimento dos docentes, seguramente. Mas já terceirizaram até professores, restando poucos funcionários públicos, os quais vão se aposentando e a reposição… é via terceirização. Valeu a lembrança!

      Reply
  4. Adriana

    Que tristeza ler isto… Eu sou formada em Educação Física, pela UFRGS e lembro de ter atuado algumas vezes, em práticas de ensino, na Creche. Era um espaço bastante qualificado na década de 90… De tudo que li aqui, para mim, o mais chocante é uma empresa terceirizada contratar as professoras! Como pode uma empresa que gerencia auxiliares de limpeza e cozinheira, ter experiência para selecionar professores? Gente!!!! Não é uma questão de ser melhor ou pior, mais ou menos importante, é uma questão de necessidade de qualificação para fazer uma seleção, que pressupõe muito além de comprovação de formação. Gostaria muito de ver a FACED, onde fiz especialização e mestrado, tomar este debate para si e ajudar a tornar nossa creche novamente um espaço qualificado para as crianças que lá estudam.

    Reply
    1. Juca Gil Post author

      É muito triste mesmo, Adriana. Revoltante, absurdo. Mas estamos convivendo de modo bem pacífico com a precarização, com o desrespeito aos profissionais da educação. Também penso que a universidade deveria pautar o que vem fazendo, o que isso significa, o que isso nos educa… Valeu!

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *